Networking em eventos

Views: 379

Written by:

Networking em eventos causa estresse? Saiba como prevenir esse problema

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

O networking em eventos é importante para a carreira da maioria das pessoas, principalmente para as que buscam crescimento e aperfeiçoamento profissional. Porém, justamente pelo fato de ser tão relevante, o estabelecimento de novos contatos termina por ser um fator de estresse. Um terror para pessoas mais introvertidas ou que tenham poucas habilidades sociais. Reconhecer os sinais de estresse elevado representa o primeiro passo para evitar a paralisia que acomete muitas pessoas e que resulta em uma experiência menos satisfatória.

O tema é bastante atual, como demonstra a preocupação governamental e da iniciativa privada, em todo o mundo, com os danos causados pelo estresse. O Health and Safety Executive_ (HSE), da Grã-Bretanha, estima que nove milhões de horas de trabalho são perdidas anualmente devido às doenças causadas pelo estresse (dados de 2014/2015). O American Institute of Stress, uma instituição não-governamental dos Estados Unidos, estima que 77% dos norte-americanos experimentam regularmente sintomas relacionados ao estresse.

Os dados brasileiros também são sugestivos: segundo pesquisa com profissionais das áreas de saúde, indústria e finanças de São Paulo e Porto Alegre realizada pela filial da International Stress Management Association, 69% dos entrevistados revelaram que o trabalho era sua maior fonte de estresse.

Sinais de alerta

A primeira fase do estresse é a de alerta, que acontece nos momentos em que as pessoas entram em contato com o agente estressor. No caso do networking em eventos, isso pode ocorrer quando você entra em um aposento repleto e precisa decidir com quem conversar primeiro, por exemplo.
Nessa fase, os sinais de alerta corporais são vários, entre os quais podemos citar mãos e pés frios, boca seca, dor no estômago, suor, tensão e dor muscular na região dos ombros, aperto na mandíbula, ranger os dentes, taquicardia, respiração ofegante e elevação da pressão sanguínea.

Tais sinais não são necessariamente negativos. Eles ocorrem porque o organismo reage às situações de perigo ou ameaça colocando o corpo em estado de alarme. É comum, por exemplo, que se sinta vontade de urinar em momentos de tensão. O que nada mais é do que a tentativa do organismo de se expelir líquido e ficar mais leve. São estratégias biológicas que se revelaram importantes, ao longo de milhões de anos de evolução, para escapar de predadores.

Problema que se agrava

De acordo com o Ministério da Saúde, há duas fases que indicam o agravamento das reações de estresse: a de resistência, em que o organismo tenta retornar ao equilíbrio anterior, e a de exaustão, em que os problemas de saúde se tornam mais sérios, comprometendo o desempenho profissional e acarretando problemas são variados quanto formigamento das extremidades, irritabilidade, problemas de pele e perda do senso de humor.

Para combatê-los, são indicados cuidados especiais com a alimentação. O processo de estresse acarreta perda de vitaminas e nutrientes. Verduras e frutas, portanto, são especialmente indicadas. Assim como os exercícios físicos, que levam à produção de endorfinas, um analgésico e relaxante natural.

Respire fundo e vá à luta

É possível conviver bem com o nervosismo causado por situações que podem ser estressantes. Na verdade, esse pode ser um componente fundamental para deixá-lo afiado. Pronto a responder a todos os desafios que aparecerem no networking em eventos. Confira algumas dicas que podem ser usadas para uma melhor qualidade de vida:

1 – Respire corretamente

Entre os sintomas do estresse estão a respiração acelerada, ela é uma das formas do organismo se preparar para as emergências. Se você se concentrar em respirar lentamente e profundamente, será mais fácil controlar sua ansiedade. E também, outros sintomas associados, como os batimentos cardíacos acima do normal. Se necessário, peça licença e busque um local tranquilo para respirar antes de iniciar um novo contato.

2 – Mantenha a perspectiva correta

Pensar racionalmente é uma forma eficiente de lidar com as emoções, mas nem sempre isso ocorre da melhor forma. Às vezes, somos tomados por pensamentos negativos. Pode ser sobre nosso desempenho, aptidões e capacidade. Muitas vezes é provocado, inclusive, por experiências malsucedidas anteriores. Portanto, uma boa maneira de combater o estresse é manter uma perspectiva correta. Evite imaginar excessivamente e de uma forma negativa sobre o que vai acontecer.
É comum que isso seja uma consequência da sensação de que você é o único responsável pelo contato. Na verdade, trata-se de uma via de mão dupla: seu interlocutor também tem um papel na conversação. É perfeitamente possível que não esteja interessado – ou simplesmente ansioso, assim como você.

3 – Tenha os tópicos de discussão em mente

Uma forma útil de se preparar para o networking em eventos é relacionar alguns tópicos de discussão que ajudem a quebrar o gelo. Depois é só manter a conversação fluindo. Tenha em mente que os assuntos devem ser relevantes. E não levar a situações constrangedoras ou embaraçosas, conforme ocorre com comentários maliciosos sobre pessoas ou empresas. A partir do momento em que for encontrado um tópico de interesse comum, o contato ficará mais fácil. E quanto aos organizadores de eventos?

Algumas dicas podem facilitar o networking em eventos, reduzindo o estresse dos novos contatos:

1 – Use a tecnologia: Como as pessoas já incorporaram o mobile ao seu cotidiano, incluir essa tecnologia ao seu evento vai contribuir para torná-lo mais acessível e familiar. O seu app para eventos deve incluir ferramentas para facilitar o contato, como chat nativo, perfis dos participantes e tags com interesses.

2 – Ouça os participantes: Realize pesquisas para verificar os pontos fortes e fracos do seu evento, o que pode facilitar a identificação de problemas que estariam prejudicando o networking dos participantes. Isso já pode ser feito na fase pré-evento, permitindo ajustar o que não estiver agradando na programação.

3 – Organize sessões interativas: Promover sessões com maior interação entre os participantes pode ser uma boa ideia para reduzir o estresse, facilitando o contato num ambiente divertido. Encoraje seus palestrantes a realizar atividades que resultem em networking, o que vai evitar que ele fique restrito aos momentos de intervalo.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *