linguagem corporal, networking em eventos

Views: 132

Written by:

Linguagem corporal diz muito sobre você (e pode ajudar!) no networking em eventos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Apresentar-se a outros participantes e construir um relacionamento duradouro e produtivo. Essa é a base do networking em eventos.

Fazer networking em eventos nem sempre é fácil. Quando não se é naturalmente sociável, ou, então, quando você fica tenso porque se trata de uma ocasião importante para sua carreira. Mas, com técnicas adequadas de linguagem corporal e um aplicativo para eventos, você verá que não é tão difícil como parece.

De que forma começa um processo de comunicação entre duas pessoas que não se conhecem? De acordo com os psicólogos, ele se inicia muito antes de que as pessoas se apresentem: há todo um processo de observação, coleta e processamento de dados que conduz a julgamentos. Em alguns casos, há quem passe por nós e evite o contato visual, enquanto outros sorriem, param e conversam. Com algumas pessoas, simplesmente nos sentimos mais à vontade do que com outras.

De acordo com o psicólogo Albert Mehabrian, as pessoas avaliam as outras com base em três fatores. Palavras (Verbal), comportamento paraverbal (Vocal) e comportamento não verbal (Visual), ou os três V´s. As conclusões resultam de estudos feitos no final da década de 1960 sobre a linguagem corporal relacionada à comunicação de sentimentos e atitudes (e não de qualquer comunicação, como às vezes seus estudos são citados).

A linguagem corporal: verbal, vocal e visual

Os experimentos feitos por Mehabrian com os três V´s levaram a uma equação que mostra a importância de cada um destes fatores na linguagem corporal. Assim, a importância das palavras é de 7%, o tom de voz ou o comportamento paraverbal soma 38% e o visual, ou comportamento não verbal, 55%. Portanto, nada menos do que 93% da linguagem corporal não está relacionada ao que você diz, e sim como o faz.

Além disso, a comunicação não-verbal por si só, de acordo com as conclusões do psicólogo, é mais importante do que o que e como você se expressa ao falar.

O julgamento sobre você pode ocorrer num período tão curto quanto 7 a 11 segundos, embora em geral leve entre 2 a 3 minutos. Num período tão curto, as palavras podem ter pouca importância, mas a sua atitude e a maneira como se apresenta já dão sinais importantes para o interlocutor.

Os eventos mais modernos já contam com aplicativos que facilitam o processo de networking em eventos. Uma vez que os participantes contam com perfis com informações e tags sobre seus interesses. Com a ferramenta de chat, é possível iniciar o contato preliminar que, mais tarde, vai conduzir a um encontro pessoal. Muito melhor do que entrar em um amplo local de reunião e se deparar com dezenas ou centenas de desconhecidos, não?

Postura confiante, mas nem tanto

Talvez possa parecer estranho que julguemos o livro pela capa. Mas é exatamente o que o cérebro faz quando nos encontramos com desconhecidos. Ou com aquela pessoa com a qual você trocou mensagens pelo chat do aplicativo. Ele processa informações variadas rapidamente – incluindo dados referentes à postura corporal.

Braços cruzados ou ombros caídos dão sinais negativos. Enquanto o peito expansivo e cabeça erguida são tão positivos que podem gerar uma sensação de ameaça para o interlocutor.

  • A solução, segundo uma pesquisa feita em Harvard, é praticar a postura confiante por dois minutos. Antes de se encontrar com qualquer pessoa. Os pesquisadores chegaram à conclusão que isso gera aumento da concentração de testosterona e redução de cortisol. Elevando a autoconfiança e diminuindo o estresse. E o oposto ocorre quando se pratica a postura corporal menos confiante.

O tom do outro é mais verde

A forma como falamos tem, de acordo com o estudo de Mehrabian, mais importância do que as palavras utilizadas.

Isso inclui o tom, o ritmo, o compasso, a velocidade e o volume da voz. Ela fornece informações instantâneas, conforme mostra, uma pesquisa do Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Educação Continuada com 400 profissionais de grandes empresas. De acordo com os entrevistados, aspectos do interlocutor poderiam ser reconhecidos pela voz. Como o nervosismo (97%), humor (92,6%), cansaço (92,6%) e passividade (79,9%).

  • No que se refere ao networking em eventos, nem sempre o que você expressa é o mais importante – preste atenção ao que o outro está expressando. Uma técnica de sucesso de comunicação interpessoal é refletir a pessoa com quem se está mantendo contato. Incluindo o seu tom de voz, gestos e até mesmo palavras específicas.

Deixe a conversa aberta

Com míseros 7% na equação da importância da linguagem corporal, as palavras não deixam de ter sua importância em comunicações não presenciais. E, principalmente, em forma de texto (por isso, cuidado com os erros de português no chat!). Especificamente no que se refere à palavra falada. Nos Estados Unidos, o antropólogo Ray Birdwhistell chegou à conclusão de que, em média, uma pessoa fala somente de 10 a 11 minutos por dia. E a sentença média leva somente 2,5 segundos.

  • Numa conversa inicial, é importante deixar o interlocutor com opções para prosseguir com a conversa. Não é uma boa ideia começar dizendo sua profissão, por exemplo. E sim alguma característica interessante do seu trabalho atual. De resto, demonstrar interesse no que a pessoa diz e fazer perguntas a respeito é um bom caminho. Siga a regra de 70%-30%, na qual você ouve 70% do tempo e fala 30%.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *